Publicado em: ter, jul 31st, 2018

Dicas que ajudam a controlar medos e fobias.

Enfrentar aquilo que causa desconforto e até fobia é um desafio, mas especialistas dão dicas rápidas de controle que podem ajudar a encarar o ‘perigo’.
O medo é uma forma de defesa do ser humano. Ele é um sentimento natural, inerente às pessoas, e chega até a ser saudável em algumas ocasiões. Por outro lado, se for descontrolado, ele pode ser prejudicial à saúde mental, afetando a vida pessoal e social do indivíduo. E para superá-lo, especialistas ensinam técnicas, com atitudes rápidas de controle em situações emergenciais, como o domínio da respiração. Em casos mais graves, é indicado tratamento, que pode ser a longo prazo.
Ao estar vulnerável a uma situação que manifeste esse sentimento, a recomendação é para desacelerar o pensamento, para sair do sequestro de imaginação. O medo ao ser desencadeado de forma desregulada, limita as ações das pessoas. “A respiração dentro de um surto de medo te traz de volta ao momento presente. Ela tem como consequência um pensamento desacelerado. Por ser um mecanismo de vida, ela traz uma memória de sopro, como no momento de nascimento de cada um”, destacou a coach de corpo e mente Wanessa Moreira, que detalha outra técnica para acalmar: “pressionar o osso externo entre os seios, na linha mediana do tórax. Esse ponto tem referência de energia do coração e está diretamente vinculado ao alívio da sensação de angústia. Água gelada também ajuda a trazer de volta ao presente, pois ela é ingerida em uma temperatura diferente do corpo”.É importante identificar de onde vem o trauma, se é de uma situação já passada ou desconhecida. O medo pode vir de algo que a pessoa já viveu, mas também pode ser oriundo de memórias vividas que vem gravadas na genética, fato cientificamente comprovado. “Quando olhar para os seus medos e não conseguir identificá-los, por nunca ter vivido uma situação parecida antes, ele pode ser identificado como um legado de família”, confirmou a coach.
O processo de desconstrução do medo precisa ser feito lentamente.
De acordo com a psicóloga Luisa Geambastiane, a gratidão é a melhor chave para que a pessoa comece a sair do problema. Escrever sobre o que sente também é uma forma de se libertar do sentimento. Além disso, é necessário perdoar-se por sentir aquilo, para que amenize as sensações de incapacidade.
“Realizamos em conjunto ao enfrentamento, técnicas de respiração, mentalização, relaxamento muscular e afirmações positivas, que visam baixar o nível de ansiedade, stress, e estado de alerta, que ajuda a enfrentar o evento desencadeador”, disse Luisa.

Fonte:
www.odia.ig.com.br