Publicado em: seg, jan 14th, 2019

Depressão pós-parto masculina?

Embora a depressão pós-parto seja mais comum em mulheres, um novo estudo de pesquisadores suecos, que avaliou o comportamento de 447 homens após o nascimento do filho, mostrou que eles também tinham sintomas de depressão.
O que causa a depressão pós-parto em homens? Os pesquisadores suecos apontaram como uma das causas principais nos últimos 10 anos, a transição para a paternidade, na qual as expectativas e sentimentos dos pais em relação ao nascimento do bebê são testados.
Estudos anteriores registraram entre 4% e 10% de casos de depressão paterna, porém nessa pesquisa feita com 447 pais, os pesquisadores suecos surpreenderam-se com a descoberta de 28% de casos. Poucos procuraram ajuda apesar da sensação de prostração física ou de abatimento moral. No Reino Unido onde a depressão pós-parto afeta 13% das mulheres, os médicos e psicólogos preocupam-se em avaliar o equilíbrio psicológico das mães em seguida ao nascimento do bebê, mas essa preocupação não se estende em geral à saúde mental dos pais.
A principal autora do estudo, Elisa Psouni, do departamento de psicologia da Universidade de Lund, observouque a Escala de Depressão Pós-parto de Edimburgo  usada na avaliação psicológica tanto de mulheres quanto de homens, não detecta com a mesma precisão casos de depressão paterna. Psouni atribuiu o fato de ter constatado um número maior de casos de depressão entre os homens à inserção na avaliação de sintomas mais típicos do sexo masculino, como agitação, raiva, irritabilidade, trabalho compulsivo e consumo excessivo de álcool.
Os pais deprimidos interagem menos com o filho. A depressão paterna prejudica o desenvolvimento dos bebês e acarreta problemas de comportamento quando as crianças atingem 7 anos.
A terapia comportamental cognitiva ajuda a tratar os sintomas de depressão, assim como os antidepressivos. “Os pais que não reconhecem os sintomas ou não os aceitam, ao se recuperarem terão perdido a alegria da convivência com o filho em seus primeiros meses de vida. É preciso que haja uma conscientização maior que a depressão pós-parto também afeta os homens”, disse Psouni.

Fonte:
http://opiniaoenoticia.com.br