Publicado em: seg, abr 15th, 2019

Transtornos comportamentais e afastamentos trabalhistas

Nove em cada dez brasileiros no mercado de trabalho apresentam ansiedade, do grau leve ao incapacitante

Nove mil afastamentos do trabalhado por causa de transtornos comportamentais e de saúde mental. Este é o número registrado pela Secretaria de Previdência no ano de 2017 no Brasil. De acordo com a International Stress Management Association (Isma-BR) nove em cada dez brasileiros no mercado de trabalho apresentam sintomas de ansiedade, (do grau mais leve ao incapacitante).

Os números mostram que os profissionais estão cada vez mais desgastados e depressivos, sendo assim, as empresas precisam buscar alternativas que melhorem a qualidade de vida dos trabalhadores, e o próprios colaboradores precisam entender e aceitar quando precisam de algum tipo de ajuda. 

As razões que levam os afastamentos dos trabalhos são inúmeras e podem ocorrer por diversos motivos conforme explica a psicóloga Beatriz Moura, que é especialista em saúde Mental. “Os principais transtornos são ansiedade, estresse e depressão. Esses problemas podem ocorrer devido uma situação pessoal ou que envolve a família, e por pressões psicológicas no trabalho ou uma convivência ruim com os demais colaboradores e chefia”. 

A psicologa explica que os problemas podem ser identificados quando o trabalhador apresenta queda na produtividade ou do descompasso entre as capacidades do trabalhador e o trabalho a ser realizado.

“O desgaste físico, emocional e mental gerado pelo trabalho podem produzir apatia, desânimo, hipersensibilidade emotiva, raiva, irritabilidade e ansiedade, e podem provocam ainda despersonalização e inércia, acarretando no desempenho e na satisfação do trabalhador. Estes são alguns dentre muitos fatores que colaboram para o surgimento de problemas relacionados à saúde mental, com destaque, para os transtornos mentais comuns (TMC). Outros sintomas que podem aparecer são a insônia, depressão, dificuldade de concentração, esquecimento, fadiga e queixas”, explicou a especialista.

A boa notícia é que há tratamento para trabalhadores que estejam passando por essa situação. Beatriz Moura explica que uma opção é a terapia com psicólogo. “Muitas empresas investem em programas de bem-estar, mais somente isso não irá ajudar. A pessoa precisa ser avaliada individualmente e receber um tratamento personalizado, depende da gravidade de cada caso”. 

Para evitar situação ruins do ambiente de trabalho a especialista explica que o melhor a se fazer é tornar o local mais amigável. “É importante sempre praticar e promover a gentileza dentro do ambiente de trabalho. Os colaboradores precisam se ajudar, sendo gentis uns com os outros, pois isso torna o ambiente muito melhor, além da equipe se manter unida, para que todos superem os desafios. Um ambiente com empatia também faz a diferença e o feedback é importante, pois permite que ambas as partes exponham seus problemas e desafios e encontrem soluções. Celebrar as pequenas e grandes conquistas é fundamental e vale destacar que o ambiente de trabalho precisa ter espaços para descontração”, disse a psicologa.

Fonte:
www.folhavitoria.com.br